Ecstasy

Ecstasy

Ecstasy é um fármaco sintético, também conhecido como MDMA, derivado da anfetamina que possui propriedades psicoativas e estimulantes.  Existem mais de 900 tipos distintos de comprimidos de ecstasy. A droga é consumida ao colocá-lo sob a língua até que se dissolva. Pode ser encontrado em diversos tamanhos, desenhos e cores, o que dificulta muito de ser encontrado na gaveta ou no armário, pois se assemelha a remédios. O Ecstasy também é chamado por muitos outros nomes como: bala, XTC, X, etc.

 

Efeitos em curto e longo prazo

O ecstasy oferece sensações de euforia, energia, alegria, distorções do tempo, distorções na percepção, além de outros sintomas.

Esta substância ilícita é comum e popular em casas noturnas e raves. Algumas vezes ela é usada em conjunto com outras drogas: a maconha, metanfetamina, ketamina e cocaína.

O ecstasy pode produzir uma série de efeitos, dependendo do seu grau de consumo. Dos efeitos agudos, que ocorrem de horas, até mesmo meses após o consumo, incluem:

  • Ansiedade
  • Insônia
  • Ataques de pânico
  • Psicose
  • Depressão
  • Tontura
  • Ansiedade severa
  • Irritação

 

Usuários crônicos, após um mês de uso, podem apresentar mal desempenho em tarefas cognitivas ou que exigem memória. O ecstasy afeta rapidamente o cérebro de maneira a distorcer a percepção do usuário sobre o que está acontecendo à sua volta. Suas ações podem ser estranhas, irracionais, inadequadas e até mesmo destrutivas.

A longo prazo, o ecstasy pode prejudicar neurônios serotonérgicos, causando danos permanentes no Sistema Nervoso Central, cérebro, e desordem neuropsiquiátricas.

Ainda há os efeitos residuais que podem permanecer por semanas, por exemplo:

  • Fadiga
  • Insônia
  • Tontura
  • Dores musculares
  • Ansiedade
  • Pânico
  • Depressão

 

Como acontece com outras drogas, o uso em grande quantidade pode causar sérios problemas ao usuário de ecstasy, até mesmo uma overdose. Neste caso podem ocorrer os seguintes efeitos:

  • Palpitação
  • Hipertensão arterial seguida de hipotensão
  • Arritmias cardíacas
  • Taquicardia
  • Hipertemia fulminante (acima de 42˚)
  • Coagulação intravascular disseminada
  • Insuficiência renal aguda
  • Hepatoxidade
  • Morte

 

Podem ocorrer também alucinações visuais, aumento da acuidade visual para cores, luminescência de objetos, dormência e formigamento nas extremidades.

 

Sinais e Sintomas

Dentre os efeitos do ecstasy estão a potencialização do sentido do tato, estimulação mental, excitação emocional e aumento da energia física. Ou seja, ao consumir a droga, a pessoa se torna mais amigável, hiperativa de energia, além disso, potencializa os sentidos, permitindo que a pessoa escute melhor, por exemplo.

Esses efeitos surgem depois de 20 a 60 minutos após a ingestão da droga, e podem durar por horas.

Os sintomas adversos do consumo de ecstasy podem incluir:

  • Náusea
  • Calafrios
  • Sudorese
  • Visão turva
  • Câimbras musculares
  • Trismo ou bruxismo (rigidez na mandíbula)
  • Dor de cabeça
  • Perda de apetite

 

Orientações em três passos

Passo 1 – Na consulta será definido o diagnóstico e condutas a serem tomadas.

Passo 2 – Em análise do caso será definido se o tratamento seguirá de modo clínico ou não. Havendo a necessidade de internação, é importante que a pessoa (juntamente com sua família) conheça os procedimentos de intervenção que serão tomados, trazendo dessa maneira a responsabilidade de tomada de decisões em sua vida.

Passo 3 – Acompanhamento direto da família no desenvolvimento do tratamento.

 

Ressalto que a dependência química é uma doença crônica, incurável e fatal. O controle é possível por meio de tratamento que objetiva reestruturar a vida do dependente.

 

Submit a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *